sexta-feira, 25 de outubro de 2013

SAÚDE DO TRABALHADOR EM FLORIANÓPOLIS DÁ UM IMPORTANTE PASSO, REPRESENTATES REÚNEM-SE PARA A FORMAÇÃO DA CIST DE FLORIANÓPOLIS

Hoje estiveram reunidos na sede do Conselho Municipal de Saúde de Florianópolis, representantes do CEREST Regional de Florianópolis, do Conselho Municipal de Saúde - CMS, FUNDACENTRO – Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho; os trabalhadores estiveram representados pelos sindicatos: SindSaúde – Sindicato dos Trabalhadores em estabelecimentos de Saúde Público Estadual e Privado de Florianópolis; SINERGIA – Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia de Florianópolis e Região; SINFREN – Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços e Venda de Combustíveis e no Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo da Grande Florianópolis; SINDIPREVS - Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Serviço Público Federa e CUT – Central Única dos Trabalhadores; também estavam presentes representantes do SINDUSCON -  Sindicato da Indústria da Construção Civil e CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas de Florianópolis.
A reunião ocorreu para a posse dos representantes da CIST – Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador, apresentação, discussão e aprovação do Regimento interno da CIST e a escolha das Coordenações Geral e Adjunta e da Secretaria Executiva. Para as Coordenações Geral e Adjunta foram escolhidos os representantes do SINSAÚDE – Maria Isabel Figueiredo Bitencourt e Nereu Sandro Spezin e para a Secretaria Executiva foi escolhida a representante da CUT – Maria Estela Conceição.
Composição da CIST;
- Representantes de Instituições Públicas: CEREST e FUNDACENTRO
- Representantes de Instituições Patronais: SINDUSCON e CDL
- Representantes de Instituições Representativas dos Trabalhadores: SINDSAÚDE / SINDIPREVS; SINERGIA / UGT; CUT / SINTRAUTO e Sindicato dos Bancários / SINFREN.










quarta-feira, 23 de outubro de 2013

MOTORISTA DE ÔNIBUS MORRE E OUTRO FICA FERIDO EM COLISÃO NA BR 101, EM PALHOÇA

Uma colisão envolvendo um ônibus, uma carreta e um caminhão por volta das 8h30min desta quarta-feira deixou pelo menos uma vítima fatal na BR-101, no Morro dos Cavalos, em Palhoça. O motorista do ônibus da empresa Pluma, que fazia a linha São Paulo-Araranguá morreu no local do acidente. 
De acordo com as informações da Polícia Rodoviária Federal, 27 pessoas ficaram feridas. O motorista do ônibus, Dionir Valério, 48, de Criciúma, morreu no local. O corpo está sendo encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Florianópolis. O outro motorista do ônibus, Pedro José de Oliveira, também de Criciúma, foi levado em estado grave para o hospital Celso Ramos, junto com outras vítimas. 
De acordo com a empresa, a vítima teve fratura de fêmur e na coluna vertebral. Outros passageiros estão sendo atendidos também no Hospital Regional, em São José.



sexta-feira, 4 de outubro de 2013

MINERADOR MORRE DURANTE TRABALHO EM MINA EM TREVISO / SC

Na manhã, do dia 03 de outubro, morreu mais um mineiro em Treviso. sul do estado de SC.

"Em menos de três meses, esse foi o segundo acidente com morte na mina. No dia 1º de julho, outro operário morreu atropelado por uma máquina carregadora de carvão na frente de trabalho.

Veja a matéria na integra na página:

http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/rbs-noticias/videos/t/edicoes/v/morte-de-mineiro-provoca-protesto-de-trabalhadores-no-sul-de-sc/2866167/

http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2013/10/minerador-morre-durante-trabalho-em-mina-em-treviso-no-sul-de-sc-4289119.html

Fonte: g1.globo.com/sc e clicrbs.com.br/sc


CERESTs DE SANTA CATARINA REÚNEM-SE EM BALNEÁRIO CAMBORIÚ PARA DISCUTIR AS AÇÕES CONJUNTAS PARA 2014

Estiveram reunidos nos dias 02 e 03 de outubro, no Hotel Marambaia, em Balneário Camboriú, representantes dos CERESTs Regionais de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Chapecó, Criciúma e Lages, juntamente com o CEREST Estadual e representantes das CISTs e Controle Social para apresentarem as ações desenvolvidas em 2013 e discutirem as ações conjuntas para 2014.
A abertura foi feita pelo Gerente de Saúde do Trabalhador do Estado de Santa Catarina, Antônio de Sá Pereira e pelo procurador do Ministério Público do Trabalho, Acir Alfredo Hack, representando a coordenação geral da Procuradoria Regional do Trabalho - 12ª Região e Coordenador Geral do Fórum de Saúde e Segurança do Trabalho.
Na sequência coordenadores ou representantes dos CERESTs apresentaram as ações realizadas em 2013 pelo CEREST e sua equipe:
O CEREST Regional de Florianópolis esteve representado pela coordenadora Lucila Fernandes More Petroski e a médica Edna Maria Niero e acompanhadas pelas representantes da CIST municipal Maria Isabel F. Bitencourt e Maria Estela Conceição.

CEREST Blumenau

CEREST Chapecó

CEREST Cricíuma

CEREST Joinville

CEREST Lages

CEREST Estadual

Momento de descontração


quinta-feira, 26 de setembro de 2013

CEREST Regional de Florianópolis realiza a campanha "Complete o tanque só até o automático"

A Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis, através do CEREST Regional está realizando, de 25 a 27 de setembro, a campanha Complete o tanque até o Automático.
No dia 25 foi feita uma blitz na Avenida Rio Branco, esquina com a Rua Arno Hoeschel, com a participação do CEREST Regional de Florianópolis, CEREST Estadual e representantes do SINFREN - Sindicato dos Frentistas.
No dia 26 a abordagem ocorreu nos postos de combustíveis, com a participação dos Postos Coqueiros e Rita Maria e também na sinaleira em frente à Rodoviária Rita Maria. E no dia 27 a campanha acontecerá no Posto Galo, do Rio Tavares.
A abordagem foi para orientar sobre os riscos à saúde provocados pelos vapores do combustível exalados quando o automóvel é abastecido acima do nível estabelecido pelos fabricantes.
Sempre que o abastecimento é realizado no modo manual, vapores da gasolina como o benzeno, que é cancerígeno, são liberados. 
Nos postos participantes, os profissionais atuantes na campanha estarão vestidos com camisetas identificadas com a logomarca da campanha e também entregarão material explicativo sobre o assunto. 
A coordenadora do CEREST Regional de Florianópolis, Lucila Fernandes More Petroski, esteve à frente da campanha e também participou na distribuição do material explicativo.

SMS promove reunião com secretários da Grande Florianópolis

Encontro das Comissões Intergestoras Regionais (CIR) da Grande Florianópolis reúne cerca de 50 participantes

A Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis, representada pelo seu secretário, Carlos Daniel M. da S. Moutinho, recebeu os 21 secretários de saúde que compõe a região da Grande Florianópolis, no dia 25 de setembro, no Hotel Morro das Pedras, para a apresentação do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador - CEREST Regional de Florianópolis.
A reunião iniciou-se com a apresentação do CEREST, que foi feita pela coordenadora, Lucila Fernandes More Petroski, na qual foi explicado qual a função do CEREST junto aos municípios da região de abrangência.
Tivemos ainda, a apresentação do procurador do Ministério Público do Trabalho - MPT , Dr. Acyr Alfredo Hack, que enfocou a importância dos municípios desenvolverem ações na área de saúde do trabalhador, pois quando se investe na promoção da saúde e prevenção de agravos relacionados ao trabalho, o município está diminuindo os custos do SUS, no atendimento aos acidentados e consequentemente contribuindo para a economia do município.
Esteve em pauta também a pactuação de implantação de ações em Saúde do Trabalhador nestes municípios para os anos de 2013/2014.
Foram pactuadas as seguintes ações:
- Capacitação em Saúde do Trabalhador da Rede de Atenção à Saúde e das Vigilâncias Sanitárias e Epidemiológica;
- A implantação da notificação dos agravos relacionados à Saúde do Trabalhador,  de acordo com a Portaria GM/MS 104/2011 ( Acidentes Graves, Fatais e com Crianças e Adolescentes; Acidentes com Exposição à Material Biológico e  as Intoxicações Exógenas Relacionadas ao Trabalho);
- Aplicação dos roteiros de Postos de Combustíveis de Revenda Veicular e
- Ações de fiscalização do ambiente de trabalho, com apoio técnico do CEREST.
De acordo com a coordenadora, estas ações serão respaldadas com o apoio técnico do CEREST.




segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Campanha "Complete o tanque só até o automático"

O CEREST Regional de Florianópolis em parceria com o CEREST Estadual estará realizando nos dias 25, 26 e 27/09 a campanha  "Complete o tanque só até o automático". O objetivo é orientar os frentistas e também consumidores sobre os riscos à saúde provocados pelos vapores do combustível exalados quando o automóvel é abastecido acima do nível estabelecido pelos fabricantes.

Quando o abastecimento ultrapassa o nível detectado por um dispositivo automático instalado no bico da mangueira e o frentista aciona o modo manual, colocando mais combustível que o recomendado, ele entra em contato com vapores da gasolina como o benzeno, que é cancerígeno.

Além dos riscos à saúde dos frentistas, são provocados danos ao meio ambiente e a manutenção do veículo. Para alertar a população sobre a importância do abastecimento correto.

No dia 25/09 a campanha acontecerá no cruzamento da Avenida Rio Branco com a Rua Arno Hoeschel e nos dias 26 e 27 a campanha será nos postos de combustíveis, no dia 26 no Posto Coqueiros e no dia 27 no Posto Galo - Rio Tavares, com a participação dos trabalhadores dos CERESTs e dos frentistas.

Nos locais da campanha os participantes estarão usando camisetas que idenficam a campanha e também entregarão material explicativo sobre o assunto. 

Entenda como funciona

O ato de completar o tanque através do controle manual pode comprometer a manutenção do veículo. Os veículos movidos à gasolina e álcool possuem um dispositivo para controlar as emissões evaporativas de combustíveis. Este dispositivo é um filtro de carvão ativado que fica localizado próximo ao motor e que recebe os vapores de combustível do tanque por uma tubulação criada especialmente para esse fim.

O filtro fica no interior de uma espécie de invólucro circular que se assemelha a uma lata e por isso recebeu o nome de cânister. O filtro de carvão ativado recebe os vapores de gasolina (o álcool praticamente não evapora), os absorve e, quando o motor funciona, são logo aspirados pelo coletor de admissão. Como o filtro só pode receber vapor, é preciso garantir que não chegue combustível líquido até ele.

A maneira encontrada pelos fabricantes de automóveis para conseguir isso foi estabelecer um determinado volume de ar entre o líquido no tanque e a sua parte superior, justamente de onde sai a tubulação para o cânister. Esse volume de ar acima do líquido é conseguido mediante a interrupção do abastecimento ao primeiro desarme do bico da bomba. caso contrário, certamente haverá passagem de gasolina para o cânister, encharcando-o e inutilizando-o, além de enriquecer fortemente a mistura ar-combustível. Isso confundirá o sistema de gerenciamento eletrônico do motor, que, por sua vez, adotará medidas corretiva que não correspondem à realidade, prejudicando o bom funcionamento do motor. 
(Fonte: http://www.vigilanciasanitaria.sc.gov.br/)




sexta-feira, 20 de setembro de 2013

CEREST Regional de Florianópolis reunirá com os Secretários Municipais de Saúde, dos 22 municípios de sua área de abrangência

A Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST Regional de Florianópolis, realizará no dia 25 de setembro, um encontro com os Secretários Municipais de Saúde, que compõe a SDR Grande Florianópolis, formada por 22 municípios.
O evento acontecerá no Hotel Morro das Pedras e será aberto às 09h00 pelo Secretário Municipal de Saúde, Carlos Daniel M. S. Moutinho Junior.
O objetivo deste encontro é interagir com os Secretários Municipais de Saúde, que compõe a área de abrangência do CEREST, discutir a implantação e execução de ações em saúde do trabalhador. E em conjunto criar uma agenda de atividades em Saúde do Trabalhador para 2013 e 2014. 

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Marcha Virtual por um mundo livre do trabalho infantil

Junte- se à Marcha Virtual por um mundo livre do trabalho infantil, doando simbolicamente a foto de seu perfil no Twitter ou Facebook. A imagem fará parte de um painel que formará a imagem de um cata-vento, símbolo mundial do enfrentamento ao problema.


A menos de um mês da III Conferência Global sobre o Trabalho Infantil, os internautas têm a oportunidade de somar esforços ao movimento global contra o trabalho infantil.  Doando simbolicamente a imagem de seu perfil no Twitter ou Facebook https://www.facebook.com/GCChildLabour/app_658291787531447, os usuários ajudarão virtualmente a percorrer o trajeto entre Haia, na Holanda, sede da última Conferência, e Brasília, que entre os dias 8 e 10 de outubro de 2013 receberá o evento mundial.  Cada pessoa que apoiar a iniciativa estará também contribuindo com 100 metros simbólicos dessa trajetória de mais de 8 mil quilômetros que separam as duas cidades. No mesmo aplicativo os usuários poderão conhecer a situação das crianças e adolescentes afetadas/envolvidas/sujeitadas ao trabalho infantil, além das iniciativas desenvolvidas para eliminar o problema.
De acordo com estudo da OIT de 2008, no mundo todo 215 milhões crianças e adolescentes estão em situação de trabalho, e mais da metade estão expostas às suas piores formas. As metas estabelecidas pela comunidade internacional fixaram o ano de 2016 como o limite para a erradicação das piores formas de trabalho infantil.
A III Conferência Global sobre Trabalho Infantil será uma oportunidade de fazer um balanço dos progressos alcançados desde a adoção da Convenção nº 182 da Organização Internacional do Trabalho sobre a eliminação das Piores Formas de Trabalho Infantil, bem como de propor medidas para acelerar a ação rumo à meta de 2016, tendo em conta as experiências mais exitosas que estão em curso nos cinco continentes. Presidida e organizada pelo governo brasileiro, esta Conferência conta com o apoio da OIT e reunirá delegações de 193 países, que serão formadas por representantes dos governos, organizações de trabalhadores e empregadores e sociedade civil.
Por meio do aplicativo da Marcha Virtual, os internautas podem somar-se aos esforços globais, contribuindo com suas fotos para formar o símbolo mundial da mobilização contra o trabalho infantil, o cata-vento, que chegará à Conferência em Brasília. O cata-vento de cinco pontas foi escolhido como símbolo mundial de combate ao trabalho infantil por ser representativo dos cinco continentes, da diversidade, também carregando o significado de movimento e sinergia, simbolizando a necessidade constante de ações em prol da eliminação do trabalho infantil.
Percorrendo virtualmente os mais de 8.000 km entre Haia e Brasília, todas e todos podemos, ,como cidadãos,  contribuir com a causa mundial de eliminar o trabalho infantil.
O que: Campanha virtual “Por um mundo livre do trabalho infantil”
Iniciativa: OIT, Governo Brasileiro e Marcha Global contra o Trabalho

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Seminário Online Interativo: Caminhos para a Regulação do Agrotóxico no Brasil

O Telessaúde/UERJ e o Grupo de Ensino e Pesquisa do Câncer - GESPEC/RJ - convidam para o seminário online interativo que discutirá a regulação dos agrotóxicos no brasil. O evento apresentará o pesquisador Luiz Carlos Meirelles, do Centro de Estudos de Saúde do Trabalhdor e Ecologia Humana da ENSP/Fiocruz, e será moderado pela Pesquisadora Fátima Sueli Ribeiro, da UERJ.
O seminário vai ao ar ao vivo, das 14 às 16 horas, no dia 17 de setembro no site do Telessaúde da UERJ.

Instruções

  1. Acesse o site: http://www.telessauderj.uerj.br/ava/
  2. Clique em "Agenda" no menu principal
  3. Faça seu login ou, caso você não seja inscrito, faça sua inscrição clicando em "Cadastramento de Usuário"
  4. Um e-mail será enviado para o endereço cadastrado
  5. Clique no endereço que constará no e-mail para validar sua inscrição
  6. Uma nova página será aberta, clique novamente em "Agenda"
  7. No calendário apresentado, clique no link do seminário no dia 19
  8. Clique no link para acessar o seminário
Mariores informações:
CEPEC;RJ - 21 23340061, ramal 212 e 211 ou gepec.rj@gmail.com

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Reunião da CIST nacional ampliada será transmitida em tempo real

A 88ª Reunião Ordinária da CIST - Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador que acontecerá nos dias 02 e 03 de setembro em Brasília/DF será transmitida em tempo real no site do Conselho Nacional de Saúde: www.conselho.saude.gov.br

Pauta da 88ª reunião ordinária da Comissão Intersetorial da Saúde do Trabalhador

Data: 02 e 03 de Setembro de 2013

Local: Esplanada dos Ministérios, Bloco “G” – Edifício Anexo, Ala “B” – 1º, Plenário do Conselho Nacional.

DIA: 02 DE SETEMBRO DE 2013- INÍCIO: 9H00 - TÉRMINO: 18:00H

9h00 – 09h30
Acolhimento
09h30 – 10h00
1.    Mesa de Abertura e Boas Vindas
Componentes: Mª do Socorro (Presidenta do CNS), Geordeci (CIST/CNS), Carlos Vaz (Coord. CGST/SVS/MS).
10h00 – 11h00
2.    Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador – CIST/CNS – Atribuições e Desafios
Coordenação – Membro da CIST Nacional/Estadual
O papel da CIST enquanto espaço de controle social no SUS – Palestrante: Olga Rios – CGST/DSAST/SVS/MS.
Panaroma da CIST pelo país – Palestrante: Maria da Graça Luderitz Hoefel – Profª da UNB
Funcionamento e organização da CIST nacional na atual gestão – Palestrante: Geordeci Menezes de Souza – Coordenador da CIST Nacional/CNS/MS
Debate

13h00 – 14h00 (Almoço)
14h00 – 18h00
3.    Roda de conversa: Saúde do Trabalhador - Contexto e Problematização
Coordenação – Membro da CIST Nacional/Estadual
Palestrantes: Jorge Machado - Fiocruz
Palestrante: Carlos Augusto Vaz de Souza – CGST/DSAST/SVS/MS
Debate
DIA: 03 DE SETEMBRO DE 2013- INÍCIO: 9H - TÉRMINO: 17H
9h00 – 10h00
4.    4ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador
Coordenação: CIST Nacional/Estadual
Contextualização, aprovação e inicio da construção da 4ª CNST - Palestrantes: Geordeci Menezes de Souza – Coordenador da CIST Nacional/CNS/MS
5.    Mote: “Saúde do Trabalhador, dever do estado”.
Contribuições
6.    Eixo Principal: “Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora”.
Contribuições
7.    Sub Eixos: “Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora”.
I.    Desenvolvimento Sustentável, Saúde, Ambiente e Trabalho no Território.
II.    Participação dos Trabalhadores, da Comunidade, e do Controle Social.
III.    Integralidade da ação e ação intersetorial.
13h00 – 14h00 (Almoço)
14h00 – 16h30
8.    Metodologia/Cronograma/etapas
•    Regionais
•    Macrorregionais
•    Caravanas
•    Estaduais
•    Nacional
9.    Formação da Comissão Organização
Contribuições
16h30 – 17h00
10.     Encaminhamento/Encerramento
Larissa Gomes Tavares
Assessoria Técnica - Conselho Nacional de Saúde
Ministério da Saúde - SE/CNS - Sala 108B
+55 (61) 3315–2120

Twitter: @comunicacns   Facebook: /ConselhoNacionalSaude   YouTube:/comunicacns
Contribuição: Olga Rios

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

III Seminário Catarinense de Prevenção ao Assédio Moral no Trabalho

O assédio moral no trabalho é uma prática desumana que degrada as relações interpessoais e organizacionais. Situações de humilhação, constrangimentos, violências, deterioração proposital das condições de trabalho, atentados contra a dignidade são característica da ocorrência do assedio moral. Os seus efeitos nocivos podem comprometer a saúde e a vida dos trabalhadores, bem como o desempenho organizacional.
Para debater com a sociedade civil a necessidade da prevenção e do combate a estas formas de violência, será realizado no dia 30 de Setembro e 1 de Outubro de 2013 em Florianópolis/SC, o III Seminário Catarinense de Prevenção ao Assédio Moral no Trabalho, a partir da proposição do Fórum Saúde e Segurança do Trabalhador no Estado de Santa Catarina (FSST/SC – MPT 12ª região) em conjunto com as instituições que o compõem.
O objetivo principal do Seminário é divulgar o tema assédio moral no trabalho, por meio de palestras com pesquisadores referenciais no Brasil, discutir o problema em mesas redondas, e apresentar relatos de investigação científica, casos e experiências.
Esperamos a presença de trabalhadores, empregadores, gestores, acadêmicos e membros da sociedade de forma geral, para que este seminário possa além de apresentar informações relevantes sobre o assédio moral, transformar a percepção do seu participante em relação a esta forma de violência presente no ambiente de trabalho. Para tanto, convidamos a todos a se inscrever como participante, ou relatando pesquisas desenvolvidas ou experiências vivenciadas.
Deste modo, contamos com a presença de todos para prestigiar este importante evento.



quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Apresentação e debate sobre agrotóxico

Assistam a apresentação da webconferência da rede RUTE, que aconteceu no dia 27 de agosto. 
Feita pelo professor da UNB Fernando Carneiro, atual coordenador do GT de Saúde e Ambiente da ABRASCO, sobre AGROTÓXICO.
Link abaixo com o tema discutido: http://webconf2.rnp.br/p6n9mxoazlu/

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Seminário com a Rede de Atenção Básica, Sindicato de Trabalhadores Rurais e CERESTs

Aconteceu no dia 22 de agosto, no Hotel Morro das Pedras, Florianópolis o Seminário com a Rede de Atenção Básica, Sindicato de Trabalhadores e CERESTs, na ocasião foi debatida a saúde dos trabalhadores expostos ao agrotóxico.
O seminário contou com as apresentações de Alfredo Benatto, médico veterinário, da Vigilância Sanitária de Alimentos, da Secretaria de Estado do Paraná. 

Também houve apresentações de:
- Marli Netto Gerência de Saúde Ambiental - DIVS/SC) - Apresentação do Projeto Estadual de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos.
- Marlene Zannin (Professora da UFSC e Coordenadora do CIT/SC) - Interação do Centro de Informações Toxicológicas de santa Catarina (CIT/SC) na Assistência Toxicológica.
- Letícia Weigert (Rancho EcoFrutícola Frutas Nobre Orgânicas - Rancho Queimado/SC) - Agricultura Orgânica: Possibilidades.
-Patrícia Almeida Barroso (Gerência de Fiscalização de Insumos Agrícolas, da CIDASC/SC) - Manuseio de Embalagens Contaminadas.
- Nefhar Borck (Assessoria Jurídica FETAESC) - Questões Legais Envolvendo Acidentes de Trabalho com Trabalhadores Rurais.

Seminário para Fortalecimento e Criação de CISTs nas Macrorregiões de Santa Catarina

Ocorreu nos dias 21 e 22 de agosto, no Hotel São Sebastião da Praia - Campeche, Florianópolis/SC, o Seminário para Fortalecimento e Criação de CISTs nas Macrorregiões de Santa Catarina, fizeram presentantes o CEREST Estadual e os CEREST Regionais de Florianópolis, Joinville e Blumenau, além de representantes do controle social destes municípios e outros participantes. 
Na programação tiveram palestras de José Adelino, Coordenador do CEREST Municipal de Concórdia; Ieda Vargas, da CIST de Blumenau; Flávio Magajewski, Coordenador de Tecnologia da Informação VISA, na Secretaria de Estado da Saúde de SC Márcia Cristina Kamei Lopes Aliaga, Procuradora da 12ª Procuradoria Regional do Trabalho/SC, do Ministério Público do Trabalho.

DIVS abre inscrições para o Curso Básico em Saúde do Trabalhador para o Controle Social

A Diretoria de Vigilância Sanitária abre inscrições para o “Curso Básico em Saúde do Trabalhador para o Controle Social”, que será realizado de 09 a 12 de setembro de 2013, em Florianópolis.
Direcionado à Representantes do Controle Social Estadual e Municipal, Sindicatos de Trabalhadores, Membros das CISTs, Fórum de Saúde e Segurança do MPT e outras representações, o curso e gratuito e tem a duração de 32 horas.
Carga Horária do Curso: 32h:
08h00min às 12h00min;

13h30min às 17h30min.
Local: Hotel Morro das Pedras
Rua Manoel Pedro Vieira, 550 - Armação Florianópolis - SC, Fone (48) 3237-9583
A entrada no Hotel poderá ocorrer no domingo, a partir das 12hs, para dar condições aos participantes estarem presentes às 08hs de 2ª feira, para início do curso.
As inscrições podem ser realizadasaté o dia 30 de agosto.


Inscrição:
- Acessar (http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=12483) e preencher os campos necessários.
Não enviar inscrições por e-mail.
A lista dos selecionados será divulgada no site da Diretoria de Vigilância Sanitária no dia 03/09/2013, assim como qualquer outra informação sobre o curso.
Custos - Despesas custeadas pela DIVS/SES:
- Hospedagem, café da manhã, almoço, coffe break tarde, jantar.
- Material Didático.
As despesas com deslocamentos, passagens e outras eventuais (correio, interurbanos, etc.) serão por conta do participante, ou órgão a que o servidor estiver vinculado.
Solicitamos que, caso o representante indicado não possa participar efetivamente do evento, em todos os horários e turnos, não processe a inscrição, pois o não comparecimento implicará em desligamento automático e retorno ao município de origem.

Fonte: Vigilância Sanitária de Santa Catarina - 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Homem morre após ser atingido por caminhão desgovernado em Florianópolis

Condutor havia descido do caminhão para verificar um possível problema mecânico, mas o veículo se soltou e provocou o acidente.


Um homem morreu ao ser atingido por um caminhão desgovernado no início da tarde desta quinta-feira no Centro de Florianópolis. O acidente ocorreu na Rua Vila Kinczeski, na região da Avenida Mauro Ramos.
Elton Edeco Gonçalves, de 32 anos, fazia um frete com seu caminhão, por volta das 13h, quando ocorreu uma possível pane mecânica em uma ladeira. O motorista estacionou o veículo e foi verificar o motor quando o caminhão correu. Por ser pego de surpresa, Elton caiu e acabou tendo a cabeça esmagada pela roda. 
O caminhão desgovernado desceu a rua por um trecho de 10 metros e só parou ao colidir contra outros dois veículos que estavam estacionados sem pessoas dentro. 
Segundo a família, o motorista, que morava no Bairro Ribeirão da Ilha, era casado havia 10 anos, mesmo tempo em que trabalhava com mudanças. O casal tinha um filho de sete anos e a esposa está no quinto mês de gestação de uma menina.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Médico do trabalho acusado de má conduta faz acordo e paga indenização por dano moral

A mediação da Justiça do Trabalho entre uma fábrica de baterias e o Ministério Público do Trabalho (MPT-SC) vai ajudar a combater o envenenamento de trabalhadores por chumbo. O acordo foi feito na 2ª Vara do Trabalho de Rio do Sul, em Ação Civil Pública cumulada com Ação Civil Coletiva ajuizadas contra a empresa que realizou os programas de saúde e o médico do trabalho responsável pelo atendimento dos trabalhadores.

Os efeitos nocivos do chumbo, comum neste tipo de indústria, podem afetar praticamente todos os órgãos e sistemas do corpo. O metal pesado acumula no organismo durante toda a vida da pessoa exposta e é liberado lentamente, causando principalmente efeitos neurológicos e gastrintestinais. As afirmações fundamentam a ação na qual ocorreu o acordo.

O procurador do trabalho que atuou no processo afirmou ter constatado, “em número alarmante de casos, que as empresas investigadas apresentam PCMSOs, PPRAs e LTCATs, totalmente imprestáveis, ainda que produzidos por empresas especializadas que contam com profissionais qualificados, ao menos formalmente”. As siglas referem-se a programas ou sistemas de controle do ambiente de trabalho e da saúde de trabalhadores expostos a agentes insalubres, e são obrigatórios de acordo com normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego.

Fato raro nesta ação é que o terceiro réu não é empregador, mas o próprio médico que, segundo o MPT, “por absoluta má conduta, tem permitido que os empregados trabalhem em ambiente precário, sem os mínimos equipamentos de proteção exigidos legalmente”. O MPT realizou um procedimento investigatório com várias perícias científicas, exames de sangue em trabalhadores e comprovou fragilidade dos protocolos de segurança em várias fábricas de baterias no estado.

Embora o médico acusado tenha afirmado que a empresa para a qual presta serviço estivesse cumprindo com suas obrigações perante as normas citadas na intimação, a perícia realizada por engenheira de segurança do trabalho da Procuradoria Regional do Trabalho (PRT-SC) comprovaram o descumprimento “de uma infinidade de itens”.

O acordo homologado pelo juiz Roberto Masami Nakajo prevê que o médico e a empresa que prestava o serviço pagarão, cada um, a título de dano moral coletivo, o valor de R$ 25 mil. A fábrica de baterias pagará, a mesmo título, R$ 24 mil, sendo que todos os valores serão revertidos aos empregados.
Além disso, a fábrica fica obrigada a elaborar um programa de proteção respiratória, sob pena de multa de R$ 50 mil. Deverá, também, realizar a medição quantitativa dos níveis de chumbo nos diversos ambientes da empresa e garantir que fiquem abaixo dos limites de tolerância estabelecidos na NR-15.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do TRT/SC
ascom@trt12.jus.br - (48) 3216.4320 

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA IDENTIFICAÇÃO DOS AGRAVOS EM SAÚDE DO TRABALHADOR PARA O SINAN - PORTARIA GM/MS Nº 104/11 - PARA TÉCNICOS DAS VIGILÂNCIAS SANITÁRIAS E EPIDEMIOLÓGICAS MUNICIPAIS E DOS CEREST's

Está acontecendo desde o dia 07 até o dia 09 de agosto, em Balneário Camboriú, o Curso de Capacitação para Identificação dos Agravos em Saúde do Trabalhador para o SINAN - Portaria GM/MS nº 104/11 - Para Técnicos das Vigilâncias Sanitárias e Epidemiológicas Municipais e dos CEREST's, organizado pelo CEREST Estadual de Santa Catarina - SC em parceria com a Vigilância Epidemiológica de SC. O primeiro dia do curso teve a apresentação da médica sanitarista e coordenadora do CEREST de Campinas - SP, Mirian Pedrollo Silvestre, abordando os assuntos de Saúde do Trabalhador no SUS e Portaria GM/MS nº 104/11, focando principalmente os agravos relacionados ao trabalho, abordando os Acidentes de Trabalho Graves, Fatais e com Crianças e Adolescentes; Acidentes com Material Biológico e as Intoxicações Exógenas Relacionadas ao Trabalho.



Na sequência do curso a enfermeira Mara Beatriz Martins da Conceição, da Divisão de Sistemas de Informação e Análise de Dados - DIVE/SES/SC, apresentou o SINAN - Sistema de Informação de Agravos de Notificação e as Atribuições da Vigilância Epidemiológica.



A Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis estava representada pelas servidoras do CEREST Regional de Florianópolis, Lucila Fernandes More Petroski (coordenadora) e Suzana Schmidt Arruda e pelas servidoras da Gerência de Vigilância Epidemiológica, Janaina Santos e Anazuaia Battisti.


Curta o CEREST no Facebook - CEREST Florianópolis



terça-feira, 6 de agosto de 2013

SEMINÁRIO PARA CRIAÇÃO E FORTALECIMENTO DAS CIST'S NOS MUNICÍPIOS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS

A Gerência de Saúde do Trabalhador de Santa Catarina - GESAT/SC e a Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador - CIST/SC, realizarão nos dias 21 e 22 de agosto de 2013, no Hotel São Sebastião da Praia, localizado na Avenida Campeche - 1373 - Campeche, Florianópolis, o "Seminário para Criação e Fortalecimento das CIST's nos Municípios da Grande Florianópolis".
O convite é feito a todos os municípios sede de CEREST's e aos municípios da Grande Florianópolis. Cada município terá duas vagas, sendo uma para Conselheiro Usuário do CMS e um indicado pelo Gestor.
Para os repersentantes dos municípios da Grande Florianópolis a SES/GESAT oferecerá gratuito a hospedagem e alimentação, ficando a cargo do município o transporte de seus participantes.
As inscrições deverão ser feitas até o dia 15/08/13, no link:
CEREST Regional de Florianópolis e Conselho Municipal de Saúde - CMS, reúnem-se para a formação da CIST - Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador

No dia 05 de agosto de 2013, reuniram-se no CEREST Regional de Florianópolis, o CMS - Conselho Municipal de Saúde de Florianópolis, representado por Gerusa Machado - secretária executiva do CMS, Maria Estela da Conceição - representante da CUT, Nereu Sandro Espezim e Cinthia Fonseca - representantes do Sindsaúde, Josi F. Mello - representante do Sindicato dos Bancários, Nicolau de Almeida representando a CIST Estadual,  e os integrantes da equipe do CEREST, Lucila F. More Petroski - enfermeira e coordenadora, Edna Maria Niero - médica, Rodrigo Gonçalves e Jeancarlo Menegon - fiscais de vigilância em saúde, Suzana S. Arruda - enfermeira e Josiane Ribeiro - técnica de enfermagem.
Na reunião foi discutida a formação da CIST de Florianópolis, o regimento e os encaminhamentos para o convite dos demais integrantes da CIST.
Nicolau de Almeida, representante da CIST Estadual,   informou sobre o Seminário para Criação e Fortalecimento das CIST's nos Municípios da Grande Florianópolis", que acontecerá nos dias 21 e 22 de agosto de 2013, no Hotel São Sebastião da Praia, Campeche.




terça-feira, 30 de julho de 2013

Roupas da Le Lis Blanc são fabricadas com escravidão

Fiscalização resgata 28 pessoas, incluindo uma adolescente de 16 anos. Costureiros vítimas de tráfico de pessoas viviam em condições degradantes e cumpriam jornadas exaustivas.

A parede é de tijolos aparentes, com reboco improvisado e tábuas tapando as janelas. O piso é de cimento, coberto de retalhos, linhas e sujeira. Há fios de eletricidades puxados de maneira improvisada por todos os lados, alguns perigosamente próximos de pilhas de tecido, e, em um canto da improvisada oficina de costura, uma caixa d´água. Para ficarem mais próximos das máquinas, os lustres pendem do teto amarrados por cordões em que é possível ler “Le Lis Blanc”, nome de uma das grifes mais caras do país. Espalhadas nas mesas estão etiquetas da marca, peças finalizadas e guias com orientações sobre tamanho e corte. Em cômodos próximos, ficam os trabalhadores bolivianos, vivendo em beliches em quartos apertados, alguns com divisórias improvisadas, recebendo por produção e cumprindo jornadas exaustivas.
RBSO lança dossiê temático: Atenção Integral em Saúde do Trabalhador: Desafios e Perspectivas de uma Política Pública

A Revista Brasileira de Saúde Ocupacional em seu volume nº 38 apresenta uma gama de artigos interessantes a respeito da Atenção integral em Saúde do Trabalhador.
Vale a pena conferir no site da RENAST online - http://www.renastonline.org/ ou do Scielo - http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=0303-765720130001&lng=pt&nrm=iso

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Amianto: um grave problema de saúde pública

"Não há limite seguro para exposição ao amianto." A declaração do diretor da ENSP, Hermano Castro, embasada pelo critério da Organização Mundial da Saúde (OMS) que recomenda a substituição do uso do amianto, sempre que possível, foi o tema da exposição O caso do amianto crisotila no Brasil, ocorrida durante o curso Saúde do Trabalhador sob uma Perspectiva de Saúde Ambiental, em 10/7. A atividade teve a participação do pesquisador Francisco Pedra, do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da ENSP, e coordenação do médico especialista em Saúde Pública e Medicina do Trabalho René Mendes e da pesquisadora da Universidade Federal de Minas Gerais Elizabeth Costa Dias.
Em diversos países, o amianto já foi proibido em todas as suas formas químicas e estruturais; outros restringiram sua utilização. Entretanto, no Brasil, a fibra tóxica continua a ser explorada e utilizada em grande escala. Segundo o diretor da ENSP, que, desde 1979, acompanha doentes pela exposição à fibra cancerígena, as empresas argumentam que apenas o amianto anfibólio – já banido no país – traz graves consequências à saúde, ao passo que o crisotila não possui tal característica.
“O amianto é considerado uma substância que apresenta comprovado potencial cancerígeno em quaisquer das suas formas ou em qualquer estágio de produção, transformação e uso”, assegurou Hermano. Segundo ele, de acordo com a OMS, a crisotila está relacionada a diversas formas de doença pulmonar (asbestose, câncer pulmonar e mesotelioma de pleura e peritônio), e não há limite seguro de exposição para o risco carcinogênico. “A OMS recomenda, complementarmente, que o uso do amianto seja substituído, sempre que possível, da mesma forma que a Organização Internacional do Trabalho já o fizera”, completou.
De acordo com o diretor, o amianto é considerado um problema de saúde pública. Ainda assim, é muito utilizado como matéria-prima na maioria das indústrias dos países de economia periférica, principalmente na produção de artefatos de cimento-amianto para a indústria da construção civil (telhas, caixas d’água, divisórias, painéis acústicos, forros e pisos etc.) e em outros setores e produtos, como guarnições de freios (lonas e pastilhas), juntas, gaxetas, revestimentos de discos de embreagem (no setor automotivo), tecidos, vestimentas especiais, pisos, tintas, revestimentos e isolamentos térmicos e acústicos, entre outros.
“Enfrentado a princípio como um problema do trabalho, relacionado exclusivamente aos trabalhadores expostos, o risco passou a ser entendido como um problema de saúde pública, em que a ameaça ultrapassa os limites da fábrica, atingindo a população indiscriminadamente. Nossa análise se concentra em torno do amianto e suas consequências na saúde e vida da população exposta.”
Após relatar casos de irresponsabilidade da indústria no país, Hermano citou o caso europeu. Nesse continente, de acordo com ele, a preocupação é com toda cadeia produtiva, independentemente do setor. “A embalagem de um frango exportado para a Europa traz o aviso de que o produto não contém amianto. Eles estão alertas até para a substância que compõe o telhado das granjas. Enquanto os europeus se preocupam com todas as etapas de produção, nós não conseguimos nem o banimento da fibra”, exemplificou.

Preocupação com as vítimas dos ataques de 11/9/2001

A mesma indústria que produz caixas d’água com a fibra alternativa, explicou Hermano, também produz telhas de amianto. No entanto, não foi a preocupação com a saúde das pessoas que modificou a forma de produção. “Houve um ajuste de mercado em relação à utilização do material nas caixas d’água, não pela preocupação com os danos à saúde, mas em função do peso e da cor, que acabam sendo mais um atrativo. Essas mesmas fábricas produzem telha de amianto. A substância está presente em 8% da composição de uma telha, sendo possível a substituição pelo polipropileno, por exemplo. Mas elas possuem um fornecedor da fibra cancerígena por mais de 60 anos, que são as minas”, concluiu o diretor.
O pesquisador do Cesteh Francisco Pedra questionou os argumentos fornecidos pela indústria do amianto para dar continuidade à produção. “Uma dessas justificativas afirma que a acusação contra a crisotila é apenas uma disputa de mercado, na qual utilizamos a estratégia do medo ao associar a fibra ao câncer. Isso não é verdade.” 
O palestrante disse que 85% do amianto é empregado na construção civil e revelou preocupação com as vítimas dos ataques terroristas das torres gêmeas, em Nova Iorque, em 11 de setembro de 2001, e com os trabalhadores desse ramo no país. “Temos uma alta rotatividade do trabalho na área da construção civil, e a latência das doenças atribuídas ao amianto é de 10 a 60 anos. Perguntar para um trabalhador se ele teve contato com a substância há mais de 50 anos é complicado. O mesotelioma é um indicador da exposição ao amianto.”
Fonte: Informe ENSP, 16/07/2013